quinta-feira, 2 de julho de 2009

DIVULGANDO ...INGLATERRA MANDA LIXO PARA O BRASIL

Empresa inglesa envia lote de lixo tóxico para o Brasil


A Receita Federal e o Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul investigam o desembarque de 64 contêineres carregados com cerca de 1.200 toneladas de lixo tóxico, domiciliar e eletrônico nos portos de Rio Grande (RS) e Santos (SP).

O lote de lixo, que equivale a 7,7% do que é produzido por dia no município de São Paulo, veio da Inglaterra e foi enviado irregularmente ao Brasil, segundo a investigação.


Até ontem, 40 contêineres estavam retidos em Rio Grande, oito foram parados na estação aduaneira de Caxias do Sul (RS) e 16 no Porto de Santos.


Segundo o auditor Rolf Abel, chefe substituto da seção de vigilância do controle aduaneiro da alfândega de Rio Grande, trata-se de esquema similar ao usado pela máfia italiana, que envia lixo para países africanos.


Na documentação entregue nas alfândegas, consta que a carga seria de polímero de etileno e de resíduos plásticos, que deveriam ser usados na indústria de reciclagem.


No entanto, além de sacolas plásticas, havia papel, pilhas, seringas, banheiros químicos, cartelas vazias de remédios, camisinhas, fraldas, tecido e couro, dentre outros.

Moscas e aranhas também foram encontradas nos contêineres.


O que chamou a atenção é que em um dos contêineres havia um tonel com brinquedos onde estava escrito: "Por favor: entregue esses brinquedos para as crianças pobres do Brasil. Lavar antes de usar"


A carga partiu do porto de Felixstowe, um dos maiores do Reino Unido.


Antes de chegar ao Brasil, o navio passou pelo porto de Antuérpia, na Bélgica.


As investigações apontam que o lixo foi enviado por uma exportadora inglesa, que não teve o nome revelado.


"A denúncia partiu de uma empresa brasileira que importou produtos para reciclagem [procedimento considerado legal]. Quando receberam a carga, viram que era lixo doméstico, e não resíduos de plástico, como eles encomendaram", disse Abel.


As investigações começaram em 12 de junho.


Cinco empresas (quatro com sede no RS e uma em SP; os nomes não foram revelados) importaram o lixo, apuraram a Receita e o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).


Cada uma foi multada em R$ 408 mil.


Elas têm de enviar a carga de volta para a Inglaterra em até dez dias e têm 20 dias para recorrer da multa.


Segundo o chefe do escritório do Ibama em Rio Grande, Sandro Klippel, as empresas infringiram a Convenção de Basileia -que regula o transporte de resíduos perigosos-, e a resolução 23 do Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente).


Klippel disse que as empresas não tinham autorização do Ibama para importar polímero de etileno.


"Tudo indica que elas tentaram enganar as autoridades também da Inglaterra."


Colaborou GRACILIANO ROCHA, da Agência Folha, em Porto Alegre
NomeOrigem("BOL - FolhaOnline - Cotidiano");

Encontram-se retidos no Terminal de Contêineres (Tecon) do Porto do Rio Grande 40 contêineres com 740 toneladas de lixo doméstico vindos do porto Felixtowe, da Inglaterra.
A carga foi importada por uma empresa de Bento Gonçalves e chegou descrita como polímeros de etileno para reciclagem.
No interior dos contêineres estão banheiros químicos prensados, camisinhas, seringas, cartela de remédios, pilhas de bateria, entre outros, além de material orgânico.
A Alfândega da Receita Federal do Brasil no Porto do Rio Grande está investigando a operação de importação irregular.
Em Caxias do Sul, há outros oito contêineres com esse tipo de lixo e no Porto de Santos (SP) mais 16.
Conforme o chefe da Alfândega no porto rio-grandino, Marco Antônio Medeiros, a descrição da carga levava a crer que se tratasse de desperdício de indústria petroquímica que viria para reciclagem.
Junto com o lixo vieram alguns tambores contendo brinquedos estragados e sujos, como, por exemplo, boneca sem cabeça.
Também havia bilhetes com pedido para que os brinquedos fossem entregues às crianças pobres do Brasil e com a orientação de "favor lavar antes de usar".
As 740 toneladas de lixo chegaram ao Tecon do final de fevereiro até o final de maio deste ano, em oito embarques diferentes, com uma média de cinco contêineres em cada embarque. E foi descoberta pela Receita Federal a partir de uma denúncia anônima de irregularidade em uma carga deste tipo.
Fiscais da Alfândega que fazem análise de risco passaram a procurar no sistema e descobriram qual era a importação.
A partir da descoberta da carga, a Alfândega também comunicou o Ministério Público Federal (MPF), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e órgãos ambientais.
A investigação começou há duas semanas.
Medeiros relatou que já foram identificadas as empresas envolvidas no Brasil e agora a Alfândega está tentando descobrir os envolvidos no exterior.
Os nomes das empresas não foram divulgados para não prejudicar a investigação.
Ele não descarta a participação de brasileiros que estejam no exterior.
A intenção da Alfândega é de fazer com que a empresa importadora devolva as 740 toneladas de lixo à origem, até para forçar as autoridades europeias a tomarem providências para que esse tipo de prática desleal no comércio exterior não continue.
"Nós já temos o nosso lixo. Essa importação é muito prejudicial ao País", observou.
Durante a investigação, a equipe da Alfândega teve conhecimento de que existe uma máfia na Europa que desvia o lixo de lá e envia para outros países.
"Ficamos sabendo inclusive que há um livro sobre a máfia italiana que desvia lixo de descarte, com documento falso, e venderia como material próprio para reciclagem", relatou.
Ele observa que hoje a preocupação com descarte de lixo é internacional.
Os 40 contêineres estão retidos em local apropriado, no Tecon.
Conforme Medeiros, antes de eles serem abertos, foi chamada a Anvisa e depois o Ibama para verificarem.
Na abertura dos contêineres, foi constatado cheiro muito forte.
"Ambos ficaram bastante preocupados. Nos meus 11 anos como auditor fiscal, nunca vi uma situação dessa", disse.
O objetivo é evitar que esse material entre no País.
A Alfândega também fez contato com a Receita Federal de Caxias do Sul e do Porto de Santos, visando que nestes locais sejam adotadas as mesmas medidas que estão sendo tomadas em Rio Grande.
Porto
De acordo com a assessoria da Superintendência do Porto do Rio Grande (SUPRG), o superintendente do porto, Janir Branco, vai realizar uma reunião com o Ministério Público Federal, Fepam, Ibama e Tecon para tratar deste tema.
A data ainda não está marcada.
A SUPRG defende a mesma sinalização que a Alfândega, ou seja, que o importador deve ser compelido a devolver essa carga à origem, de modo a afastar o risco que ela representa ao Brasil.
Observa que a legislação aduaneira prevê a possibilidade de pena de perdimento, seja por falsa declaração de conteúdo ou por mercadoria atentatória à saúde.
No entanto, entende que a aplicação da pena de perdimento neste caso acarretaria um grave problema à União, que teria que se responsabilizar pela destinação da carga.
Ministério Público
O Ministério Público Federal está acompanhando o caso e tem, já em tramitação, um procedimento nos âmbitos ambiental e de saúde pública para apurar e colher as informações necessárias para atuação.
Também encaminhou ofício aos órgãos ambientais, à SUPRG e à Anvisa, para que adotem dentro de suas áreas de competências as providências para resguardo do meio ambiente e da saúde pública.
Carmem Ziebell.
Fonte:http://www.jornalagora.com.br/site/index.php?caderno=19¬icia=67521
Postado por Grupo de voluntários do Greenpeace
IMPORTAÇÃO - Outros portos com lixo importado
O descarte de 740 toneladas de lixo doméstico no Porto de Rio Grande intriga órgãos ambientais e de fiscalização aduaneira no sul do Estado.
A Receita Federal deu início às investigações há duas semanas.
O próximo passo é fazer com que a empresa importadora devolva a mercadoria à Inglaterra.
A prática não ocorre somente no porto gaúcho: há mais 16 contêineres contendo esse tipo de lixo no Porto de Santos (SP).
Outros oito contêineres com lixo, provavelmente da mesma remessa, foram levados até Caxias do Sul.
Fonte: Zero Hora (27/6/2009)

29 de junho de 2009
Deixe um comentário
Rio Grande do Sul e São Paulo entraram na última sexta-feira (26/06) para a história do tráfico de lixo internacional.
A famigerada máfia do lixo internacional enviou para o Brasil o total de 64 contêineres carregados com cerca de 1.200 toneladas de lixo industrial, tóxico e domiciliar. Os destinos no Brasil: Porto de Rio Grande (RS) e Porto de Santos (SP). Dos 64 containeres o total de 40 foram retidos em Rio Grande (RS), 8 foram barrados na estação aduaneira de Caxias do Sul (RS) e 16 no porto de Santos (SP). O Ministério Público Federal (MPF) e a Receita Federal (RF) investigam o caso do lixo que veio da Inglaterra. Na documentação entregue nas alfândegas dos referidos portos, consta que a carga seria de polímero de etileno e de resíduos plásticos, que deveriam ser usados na indústria de reciclagem. No entanto, além de sacolas plásticas, havia papel, pilhas, seringas, banheiros químicos, cartelas vazias de remédios, camisinhas, fraldas, tecido e couro, dentre outros. O que chamou a atenção é que em um dos contêineres havia um tonel com brinquedos onde estava escrito: “Por favor: entregue esses brinquedos para as crianças pobres do Brasil. Lavar antes de usar”. A carga partiu do porto de Felixstowe, um dos maiores do Reino Unido. Antes de chegar ao Brasil, o navio passou pelo porto de Antuérpia, na Bélgica. As investigações apontam que o lixo foi enviado por uma exportadora inglesa. Os navios chegaram ao Rio Grande do Sul entre fevereiro e maio. O material levado ao Rio Grande do Sul teria como destino uma empresa de Bento Gonçalves. Cinco empresas (quatro com sede no Rio Grande do Sul e uma em São Paulo) importaram o lixo. Cada uma foi multada em R$ 408 mil pelo IBAMA. Elas têm de enviar a carga de volta para a Inglaterra em até dez dias. Atualmente, mais de 400 milhões de toneladas de resíduos perigosos são gerados no mundo inteiro. Cerca de 10% deste total cruza as fronteiras entre países, via máfia do lixo internacional. Grandes depósitos de ácidos corrosivos, produtos orgânicos sintéticos, metais tóxicos e outros resíduos representam uma séria ameaça à saúde das pessoas e aos ecossistemas, causando contaminação das águas subterrâneas e outros tipos de poluição. No Rio Grande do Sul uma “Força Tarefa” composta pelo Ministério Público de Contas (MPC) e Ministério Público do Estado (MPE) investigam uma denúncia sobre lixo industrial enterrado em “centrais de resíduos” de cidades gaúchas. Recentemente o Ministério Público de Contas protocolou a Representação MPC nº 008/2009, dirigida ao TCE-RS (Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul), requerendo auditoria operacional na Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler – RS (FEPAM), órgão estadual responsável pelo meio ambiente do RS e pela concessão de licenças ambientais para empreendimentos que enterram lixo industrial. A providência é motivada por denúncia de possível ocorrência de fatos que indicariam deficiências operacionais na Fundação, seja no procedimento prévio de licenciamento, seja no posterior de fiscalização, em relação a empresas da área de destinação de resíduos industriais as quais acabaram por produzir resultados ambientalmente danosos, de conhecimento público. Assim, o MPC requereu ao TCE-RS auditoria operacional, a qual possibilita o acompanhamento e a avaliação da ação governamental, da utilização econômica dos recursos públicos, da eficiente gestão de bens e serviços, do cumprimento das metas e do efetivo resultado das políticas governamentais. Tudo indica que o MPF deverá se agregar as investigações dessa “Força Tarefa” gaúcha.
Economia, Internacional, Limpeza Urbana, Meio Ambiente, Municípios, Polícia, Política , , , , , , ,
Atualizando... Quinta, 16/julho/2009
Empresa que recebeu lixo da Inglaterra fecha
Estabelecida em Bento Gonçalves, Alfatech diz que foi vítima de um golpe dos
A empresa que recebeu 1.098 toneladas de lixo doméstico exportadas da Inglaterra, a Alfatech Ltda, de Bento Gonçalves, encerrou as atividades ontem
Dizendo-se vítima de um golpe, o empresário Arildo Falcade Júnior, anunciou que não pôde mais continuar como reciclador e fabricante de produtos plásticos.
Fechou as portas e demitiu 22 dos 25 funcionários.
Dono da Alfatech, Falcade Júnior assegura que levou um trote dos britânicos.
Ele conta que fez uma compra inicial, em janeiro, recebendo 16 contêineres (cerca de 150 toneladas) de aparas de plástico, conforme o combinado.
Ao fechar o segundo negócio, surpreendeu-se com a chegada das 1.098 toneladas de lixo doméstico.
Desde que estourou o escândalo, a Alfatech vinha em dificuldades.
Além da perda de clientes, foi autuada em R$ 633 mil pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) pela estocagem de lixo em Rio Grande, Santos e Caxias do Sul.
Na sucessão de prejuízos, teria pago cerca de R$ 200 mil pela mercadoria aos britânicos, sem contar o frete, os impostos de importação e as despesas com o transporte marítimo.O custo operacional de cada contêiner está ao redor de R$ 3,5 mil.
Os 64 contêineres foram importados pela Alfatech, que garante ter comprado aparas de plástico – e não embalagens de talco, frascos de xampu e de detergente, bambonas, garrafas pet, fraldas usadas, cabides quebrados, luvas, tapetes rasgados, tampa de sanitário e outros rejeitos domésticos.
Diante da repercussão negativa do episódio, a Alfatech perdeu clientes, que cancelaram encomendas.
Situada no bairro Vila Nova, periferia de Bento Gonçalves, a recicladora passou a ser criticada, xingada por moradores indignados com a situação.
O chefe da Delegacia da PF em Rio Grande, João Manoel Vieira Filho, investiga se a Alfatech sofreu um golpe dos britânicos, comprando aparas de plástico mas recebendo lixo sujo. Ou, então, se a recicladora gaúcha está envolvida numa operação para descarte internacional de resíduos.
Na próxima semana, Vieira Filho começará a ouvir os envolvidos, num trabalho conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita Federal de Rio Grande.
Greenpeace faz alerta
O lixo europeu que veio parar em Rio Grande e Santos repercutiu entre os defensores do ambiente. Entrevistado por ZH, o diretor-executivo do Greenpeace Brasil, Marcelo Furtado, lembrou ontem que países ricos costumam enviar seus rejeitos para regiões pobres da África, América do Sul e Ásia, num triângulo de conivências entre exportador, transportador e importador. – É mais barato, para eles, mandar esse lixo de navio do que providenciar o seu destino no país de origem – alertou.
Furtado ressaltou que o governo brasileiro deve agir, devolvendo imediatamente as 1.098 toneladas de lixo para a Inglaterra, para não criar um precedente. – Se isso não der em nada, vai ficar a mensagem de que o Brasil é um bom destino para o lixo dos ricos. O Brasil precisa mostrar que esse tipo de comércio não é tolerado – afirmou o dirigente.
: REBIA Nacional / Zero Hora
.http://www.portaldomeioambiente.org.br/index.php?option=com_content&view=section&layout=blog&id=20&Itemid=637
Marcadores: Alfatech, Bacia de Santos, Brasil, Greenpeace, Inglaterra manda lixo para o Brasil, lico tóxico, Ministério Público Federal, Porto do Rio Grande do Sul, Receita Federal

7 comentários:

Anônimo disse...

desde que soube do fato (27.06.09) tento acompanhar incessantemente a continuidade dos fatos. Os blogs divulgam a mesma noticia INICIAL mas Nada de sua progressão. Enviei emails p/ MIn Carlos MInc; Dep Cristóvan Buarque; Ver Aspasia Camargo; Ver Alfredo Syrkis; Fernando Gabeira; José Nery etc (até mesmo a consul britanico), em busca de explicações para tamanha catastrofe MORAL (poucos me responderam TANGENCIALMENTE...MAGINA EU AQUI-ZINHA ELES LÁ-ZÃO, estão pisando na minha cidadania, chamando meu país de latrina/esgoto do mundo, minha familia de panacas, trouxas palhaços de carteirinha...Dos verdes???nenhum comentário, do Greenpeace?? eca!!!já deveriam estar nas ruas, na porta dos consulados COBRANDO JUSTIFICATIVAS.. AINDA NÃO VEIO POLITICO PARA explicar tal descalabro ao POVO BRASILEIRO (OU SÃO ELES OS DONOS DAS EMPRESAS? - tudo escondido - na calada da noite) TAIS POLITICOS BRASILEIROS que se escondem, nos viram de costas deveriam lamber os brinquedos usados e dar para seus filhos e netos .. da bofetada moral que recebi na cara, todos merecem 100.000 na bunda, de açoite, em praça pública, ..ESTÃO TODOS NUMA BOA!!!CIDADANIA EU QUERO UMA PRA VIVEER!!!!! esta estoria não é nova (e os pneus usados que recebemos dos estranjas? e as sucatas de usinas nucleares aqui nas minhas barbas? e os containers de lixo atomico jogado na costa brasileira..e quem sabe mais o quê..mas agora a notícia está em todos os jornais /sites que se prezam e dá pra gente cutucar estes.. @#&#...que riem da nossa 'ingenuidade' (?). enquanto puder vou formar trincheiras (embora conheça meus compatriotas 'paz e amor')...quero saber e acompanhar os desdobramentos.. Vão mandar de volta para a Inglaterra (...é boa duvide.o.dó..)..TÉ PARECE.. se duvidar tão até enchendo outros ships pra mandar mais porcaria pra gente...agora que conhecem o caminho da roça.." eta quadrilha!!! de São João é claro!!E vamos soltar rojão que faz barulho e ninguém vai notar mais lixo chegando.. As autoridades INGLESAS NÃO SABIAM[???]...MAGINA...BOA PRA PEGADINHA DO FAUSTÃO..conta outra que MEU nome não é otario

Anônimo disse...

Como já esperava, o comentário parou no primeiro (meu!!!).. o blog tb parou no tempo, após repetir as primeiras notícias divulgadas no Jornal o Estado de São Paulo, não fez nenhuma mediação, não atualizou as notícias do assunto...É como estão fazendo todos.. No Brasil, a única coisa a que dão continuidade é sobre o paradeiro do médico do Michael Jackson (haja paciência para ser cidadão!!!)

Sol do Deserto disse...

O LIXO ESTÁ SENDO DEVOLVIDO!!!!!
Vamos continuar de olho e divulgando para ACABAR de vez com essa "MÁFIA DO LIXO".

Anônimo disse...

Fiz uma denuncia séria ao promotor Dr. Fernando , o que investiga o lixo no porto de Santos, mandeu um fax ao presidente da Republica, e recebi a resposta,,, enviamos sua denuncia para a secretaria da fazenda...acho pouco caso pois dei o nome dos donos do lixo da Empresa Cbr de guarulhos, e a quadrilha que existe por tras de tudo isso, as autoridades não tomaram nenhuma providencia, o cidadão esta solto,e temo pela minha vida

Anônimo disse...

gostei do anonimo disse de 25/9, pois tambem fiz uma denuncia seria ao promotor do meio ambiente em santos, tambem dei o nome de um dos donos do lixo . Mentira ninguem esta investigando nada, pois tem politicos importantes e a policia FEDERAL, METIDA NESTE LIXO

Anônimo disse...

A estória do Lixo morreu no nascedouro..explico melhor..QUANDO A MÍDIA PAROU DE FALAR NO ASSUNTO..para os VERDES, A QUESTÃO MORRERAAAAAA tb...(aliás estavam doidos para parar de falar nesse assunto...digamos...incômodo) Ministr MINC (calado) Marininha (caladona) Min da Saúde/ Relações Exteriores / das Cidades / Agricultura etc etc caladíssimos.. o tal documento enviado à ONU para uma oFICIAL apuração internacional, apontando responsabilidades e cobrando 'O QUE TEM DE SER COBRADO' - HÁ QUANTO TEMPO VEM ACONTECENDO E QUANTO MAIS TEMPO CONTINUARÁ...CREO... SE ESFUMAÇOU...agora o partido VERDE se transformou em partido NEGRO e Partido da Grana Espetacular (OU será...ESPECULAR?)!!! beleza..A DEVASTAÇÃO QUE SE DANE...O QUE VALE É O OURO NEGRO QUE VAI JORRAR!!O MEIO AMBIENTE QUE VÁ PRA CUCUIA...PRA TUDO TEM O MASTERCARD eheh!!PALHAÇOS FALSOS!!!FISIOLÓGICOS !!!ASPÁSIA/ GABEIRA/ MINC / MARINA NUNCA MAIS

Anônimo disse...

Acabei de ler este título ( é de 2009)..li rapidamente a matéria "Destino de lixo atômico esquenta eleições na Alemanha"..há uma foto de manifestantes na rua pedindo o fim das usinas nucleares..e A PREOCUPAÇÃO PELO DESTINO DOS REJEITOS NUCLEARES..eheh sinceramente NÃO ENTENDI A PREOCUPAÇÃO DELES..POIS OS DITOS CUJOS TAIS REJEITOS TÃO TUDO VINDO BONITINHO PRO BRASIL..PRA GHANNA e NICARÁGUA..com a CONIVÊNCIA COOPTAÇÃO SILÊNCIO (e outras parcerias cooperações inconfessáveis e criminosas) Os cidadãos europeus SABEEMM..que estão a salvo do seu lixo, principalmente o radioativo, o tóxico, o letal..SABEM os alemães, os italianos ingleses que seus governos "MOLHAM MUITO A MÃO dos desaverganhados corruptos que dirigem tais governos'..VI UMA REPORTAGEM na própria RAI que mostra a MÁFIA italiana ENVIANDO tais lixos para a Nicarágua, mantendo 40% da população na catação e que o Governo Italiano "para 'suavizar' tais prejuízos.. constrói escolas, hospitais manda médicos, professores etc TUDO para 'compensar'"...MAS OLHA QUE BONDADEEE!! Os nossos governos corruptos ficam felizes com estas esmolas..ADORAM CHAMAR AQUELES DE 1o. MUNDO (que vêm nos ""a-j-u-d-a-r"" e a gente de 3o. Mundo (que recebemos ""a-j-u-d-a""). E ainda dizem que o lixo é bendito- [fonte de energia] (o diabo tb) Carimbam-nos até o final dos tempos (somos os ignorantes/ incapazes/ gente menor e depreciada / de causar pena)..alguém já fez algum levantamento de quanto $$$ tupiniquim vai pelo ralo na mão dos DONOS das ONGS? falar nisso..O QUE FAZ A ONG BRASILEIRA CRIADA na cidade do Rio de Janeiro, para aqui ajudar nas comunidades das favelas - a "Viva-Rio" - SEDIADA no H-A-I-T-I?? e sua tropa morando em Miami???LINDINHO NÉ com nosso dimdim..Em vez de os Snrs estarem à caça do OURO NEGRO, deveriam caçar as jararacas que ferem o povo..esclarecer espernear..e não ESTAR DE ABRAÇOS COM QUEM VAI FURAR AINDA MAIS O SUBSOLO, contaminar mais o MAR..tudo por dinheiro???